Como os votos são contados em uma eleição do governo local

Uma vez que você tenha votado e colocado suas cédulas na urna, elas permanecem intocadas até a data de encerramento das 18h00 no dia da eleição. As assembleias de voto são então abertas e os boletins de voto são ordenados e contados. Uma série de contagens será feita antes que os resultados finais sejam anunciados.

Os candidatos podem nomear escrutinadores para monitorar a contagem das cédulas. Os escrutinadores observam a votação e a contagem dos votos para garantir que a eleição seja conduzida corretamente. Quer saber mais sobre as eleições, acesse https://www.gazetamineira.com.br/

As seguintes contagens são tomadas nas eleições municipais.

Contagens Iniciais

Após o encerramento das assembleias de voto na Noite das Eleições, os Superintendentes das Assembleias de Voto e o Oficial de Retorno esforçar-se-ão por completar as seguintes contagens iniciais para as assembleias de voto e votos preliminares (mas não para votos de declaração):

  • Contagem inicial de cédulas para prefeito (se aplicável), classificação e contagem de cédulas de acordo com a primeira preferência de cada candidato e
  • Contagem inicial de cédulas para todos os cargos de vereador, classificação e contagem de cédulas de acordo com a primeira preferência de cada candidato Candidatos e, se aplicável, os primeiros votos de preferência de cada grupo marcados em seu campo de votação de grupo.

Na semana seguinte ao Dia da Eleição, o Oficial de Retorno realiza:

  • quaisquer contagens iniciais não concluídas até o final da Noite de Eleições
  • a contagem inicial de votos de declaração (incluindo cédulas ausentes)
  • a contagem inicial de todas as cédulas para o referendo (se aplicável) e
  • a contagem de todas as cédulas (se aplicável).

Contagem de controle

Na(s) semana(s) após o dia das eleições, os boletins de voto são submetidos a uma segunda contagem. Isso é chamado de contagem de verificação. A contagem de verificação é a contagem oficial usada para determinar os candidatos eleitos.

Tanto para prefeitos quanto para vereadores, as preferências de votação são dados inseridos no sistema de contagem por computador das Comissões Eleitorais de NSW. Este sistema determina a formalidade de cada cédula com base nas preferências inseridas.

No caso de eleições parciais em que um cargo tenha que ser preenchido, o cálculo e a distribuição das preferências podem ser feitos manualmente.

No caso de referendos e eleições, apenas uma contagem de controle é realizada se nem sim nem não 60% do total de votos formais atingirem ou excederem.

Distribuição de preferência

Para prefeitos e vereadores, a distribuição de preferência é realizada pelo sistema de contagem por computador para determinar o(s) candidato(s) eleito(s). O método de distribuição de preferências depende do tipo de eleição.

Explicando a Distribuição de Preferências –

Sistema Preferencial Opcional O sistema de votação preferencial opcional requer que um candidato receba mais de 50 por cento dos votos não informais e não esgotados. Isso é chamado de maioria absoluta.

Se um candidato não for eleito após a primeira contagem de preferência, o candidato com menos votos será eliminado – cada cédula será distribuída aos demais candidatos na contagem de acordo com a próxima preferência mais alta. Caso contrário, a cédula é considerada esgotada.

Se um candidato obtiver a maioria absoluta após a distribuição dos votos, ele é considerado eleito. Se ainda não houver candidato com maioria absoluta, o próximo candidato consecutivo com o menor número de votos terá seus votos não utilizados distribuídos como antes. Esse processo se repete até que um candidato seja eleito com maioria absoluta.

Exemplo

Se houver 8.756 votos preferenciais formais em uma eleição, a maioria absoluta é calculada da seguinte forma: 8.756 ÷ 2 = 4.378 1 = 4.379.

Se um candidato tiver maioria absoluta, esse candidato é eleito.

Se nenhum candidato for eleito, o candidato com menos votos é eliminado, o que significa que os votos do candidato eliminado são reordenados para os demais candidatos na contagem de acordo com a segunda preferência indicada em cada escrutínio.

No entanto, se alguma dessas cédulas não tiver segunda preferência ou duas ou mais segundas preferências, essas cédulas são designadas como cédulas esgotadas e são removidas da contagem. Eles são então usados ​​apenas para equilibrar o número de votos no final de cada desqualificação com o número de votos preferenciais.

A maioria absoluta é recalculada após a exclusão de todos os candidatos. A maioria absoluta diminui após cada exclusão, porque as cédulas esgotadas não são contadas mais.

O processo de eliminação continuará até que um candidato seja eleito. As cédulas dos candidatos eliminados são reordenadas por segunda, terceira, quarta, etc. preferência, conforme necessário, até que um candidato tenha a maioria absoluta dos votos restantes na contagem e esse candidato seja eleito. Quer saber mais sobre as eleições, acesse https://www.gazetamineira.com.br/minas-gerais/mais-nova-pesquisa-em-minas-aponta-vitoria-no-1o-turno-de-romeu-zema/

Fonte de Reprodução: Getty Imagem

Explicação da distribuição das preferências – sistema de representação proporcional

No sistema de votação proporcional, um candidato é eleito se receber votos iguais ou superiores à cota. A cota é determinada dividindo-se primeiro o número total de primeiras preferências por um a mais do que o número de candidatos a serem eleitos. O quociente (desconsiderando a fração) é aumentado em 1 para obter as chances. Após a contagem das primeiras preferências, cada candidato que atingiu a cota é eleito.

Se um candidato eleito tiver um excedente de cédulas acima da cota, esse excedente será transferido para os demais candidatos (ou seja, aqueles ainda não eleitos ou excluídos). Se forem eleitos vários candidatos, cada excedente de candidato é transferido (um de cada vez) para os candidatos seguintes, do excedente mais alto para o mais baixo.

Para transportar um excedente, todas as cédulas recebidas pelo candidato eleito devem ser transportadas classificadas para o próximo candidato de sequência preferido. Cada cédula vale então uma parte desse excedente. Essa parcela é chamada de valor de transferência. Exemplo: Se um candidato eleito tivesse 100 cédulas e seu excedente tivesse 10 votos, então cada cédula valeria 0,1 voto. Assim, um candidato que recebesse 20 dessas cédulas receberia 2 dos 10 votos em excesso.

Se, após cada transferência de cédulas (e votos associados), outros candidatos atingirem a cota, eles serão eleitos e adicionados à fila excedente a ser transferida. Esta transferência de excedentes continua (um de cada vez) até que todos tenham sido transferidos.

Então, se houver vagas, o candidato com menos votos é eliminado. Todas as cédulas recebidas desse candidato, incluindo aquelas recebidas de transferências em excesso, serão classificadas de acordo com sua próxima preferência disponível para candidatos sobreviventes.

Este processo continua com os candidatos sendo

  • eleitos quando seus votos forem iguais ou superiores à cota, com o excedente distribuído conforme acima ou
  • excluídos, com seus boletins de voto distribuídos conforme acima

até que:

  • não restam vagas a serem preenchidas ou
  • o número de candidatos remanescentes for igual ao número de vagas restantes ou
  • todas as vagas restantes são preenchidas com candidatos cujo número total de votos não pode ser excedido pelos demais candidatos quando contados.

Nessas circunstâncias, os candidatos eleitos são eleitos apesar de não cumprirem a cota.

Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Elei%C3%A7%C3%A3o

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.